Revista Emergência Digital - ED131 - 02/2020

Mais informações

Por: R$ 8,50 Em 6x de: R$ 1,42 No boleto: R$ 8,08

Comprar
Opção de parcelamento via cartão de crédito
  • 1x de R$ 8,50 sem juros
  • 2x de R$ 4,25 sem juros
  • 3x de R$ 2,83 sem juros
  • 4x de R$ 2,13 sem juros
  • 5x de R$ 1,70 sem juros
  • 6x de R$ 1,42 sem juros
Avalie:

VEJA NESTA EDIÇÃO:

 

Políticas necessárias

Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. Nos últimos dois meses, estes estados estiveram em pauta na grande mídia em função das chuvas que vêm castigando em especial o Sudeste do país e trazido efeitos catastrófi-cos. Minas Gerais desponta como o estado mais atingido, contabilizando 57 mortos, 65 feridos, 45.284 desalojados, 8297 desabrigados e 101 municípios em Situação de Emergência. Espírito Santo também foi muito atingido pelas chuvas, o que resultou em 10 mortes e decretos de Estado de Calamidade Pública em duas cidades e Situação de Emergência em 16. Detalhe: estes são os dados até o fechamento desta edição, em final de janeiro. O que chama a atenção para o fato que o quadro ainda pode mudar até o término do verão.
Diante do cenário complicadíssimo, mobilizações surgem no âmbito federal, estadual e municipal. O Governo Federal destinou R$ 90 milhões para ações da Sedec (Secretaria Nacional de Defesa Civil) para o socorro e assistência em todo o país. Em Minas Gerais, o CBMMG mobilizou, na segunda quinzena de janeiro, cerca de 950 bombeiros e 300 viaturas para atender as ocorrências.
Ações importantes, mas que não resolvem um problema já tradicional no país nesta época do ano. Mais uma vez é necessário falar de políticas públicas de prevenção para enfrentar este cenário crônico no país de enchentes, enxurradas e deslizamentos de terra provenien-tes das chuvas. Tais políticas não só salvariam vidas, como aliviariam o trabalho já tão inten-so dos órgãos de emergência e os cofres públicos.


ESPECIAL
Diante de um incêndio, o maior risco à vida está associado à inalação da fumaça e dos gases tóxicos, além da defici-ência de oxigênio que produz sinais como aumento do ritmo respiratório, falta de coordenação, dor de cabeça, fadiga, enjoo, inconsciência e óbito. Em função destes riscos presentes em um cenário de incêndio, é importante que o comba-te às chamas, bem como o resgate das vítimas, seja realizado por profissionais devidamente treinados e munidos de EPR (Equipamento de Proteção Respiratória) adequado. Reportagem trata da importância do EPR, a seleção e uso correto, o treinamento, as novas tecnologias do mercado e as atualizações sobre as normas.


ENTREVISTA
Secretário da ABRRD analisa a realidade da gestão de emergências no Brasil.

ATUALIZANDO
Chuvas no Sudeste causam mortes e estragos e mobilizam órgãos de emergência.

NFPA
Os profissionais de emergência e o impacto da violência no local de trabalho é destaque no artigo da NFPA.

SINALIZAÇÃO
A importância da certificação, do treinamento e dos projetos para a sinalização de emergência é tema de artigo.

EMERGÊNCIA
Artigo destaca o comportamento de indivíduos diante de situações de emergência.

FERRAMENTA
Sistema traz informações importantes para o atendimento de acidentes com produtos químicos.

Edição:
131
Marca:
Proteção
Número de páginas:
60